quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Não posso adiar


Imagem: Levi Wedel

Não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob as montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas

Não posso adiar este braço
que é uma arma de dois gumes amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração.

(António Ramos Rosa)

7 comentários:

Adriana disse...

Impossível adiar as coias do coração

Luísa disse...

Adiar é quase matar pela falta de espontaneidade. Não vale adiar.Perde a Graça!!!

Dina disse...

às vezes adiar tem outras razões =) Como esta !!





os olhos



se um gesto me definisse seria o de te afastar o cabelo para te ver melhor o rosto que me

[enche de bravura

e só te vejo pelos meus olhos por serem os que te vêem mais bela

por isso os escolho sempre

tenho os olhos feitos à medida da tua cara

e só tenho olhos para ti

quando não estás sou invisível e quase invisual

a visão não me serve de nada

vejo mas sem cor e é pior que a preto e branco

é desfocado

é esbatido

e sem chama

e sem cheiro

contigo cheira bem

sabe bem

ouve bem o que digo porque é sincero porque se não fosse todo eu era falso

cada falso que há aí merecia cadeia ou morte

mas com os teus braços finos a fazer as vezes da corda que me serpenteia o pescoço

[para me matar de felicidade

e só te quero a ti

e só te vejo a ti como a última noite do Verão mais quente

com o céu mais estrelado

com a lua mais cúmplice

com os gestos mais carinhosos

e tiro-te o cabelo da frente com a ajuda da minha mão direita que só existe para isso

e vou para te beijar mas não o faço

hesito porque os meus olhos pediram-me que os deixasse olhar para ti mais uma vez

e eu deixo para eles não chorarem muito"João Negreiros

in “a verdade dói e pode estar errada”

P-S disse...

Bonito poema, mesmo!

~pi disse...

"adiamos

o coração,

tratamo-lo como

papel

e amarrotamo-lo devagar

com medo que faça

barulho

demais"





~

Marta disse...

eu adio teatro
adio cinema
adio ginásio
adio cursos
adio mil projectos
adio até letras,

...mas o coração, tb nunca consegui!

Claudia Sousa Dias disse...

eu fi-lo e dei-me mal!


que janela convidativa...


csd