sexta-feira, 4 de abril de 2008

O meu amor

























Imagem: Dorota Werblewska


O meu amor não cabe num poema ― há coisas assim,
que não se rendem à geometria deste mundo;
são como corpos desencontrados da sua arquitectura
os quartos que os gestos não preenchem.

O meu amor é maior que as palavras; e daí inútil
a agitação dos dedos na intimidade do texto ―
a página não ilustra o zelo do farol que agasalha as baías
nem a candura a mão que protege a chama que estremece.

O meu amor não se deixa dizer ― é um formigueiro
que acode aos lábios com a urgência de um beijo
ou a matéria efervescente os segredos; a combustão
laboriosa que evoca, à flor da pele, vestígios
de uma explosão exemplar: a cratera que um corpo,
ao levantar-se, deixa para sempre na vizinhança de outro corpo.

O meu amor anda por dentro do silêncio a formular loucuras
com a nudez do teu nome ― é um fantasma que estrebucha
no dédalo das veias e sangra quando o encerram em metáforas.
Um verso que o vestisse definharia sob a roupa
como o esqueleto de uma palavra morta. nenhum poema
podia ser o chão a sua casa.


(Maria do Rosário Pedreira)

24 comentários:

~pi disse...

até dói...

a pre ci são...

Fernando Santos (Chana) disse...

Cara amiga, belo poema...O meu amor não cabe dentro dum poema...Gostei !
Boa imagem.
Beijos

lupussignatus disse...

lava

incandescente





Bom fim de semana!

Tiago R. Cardoso disse...

belo momento...

~pi disse...

lindo

/ tão

trelível! :)

Anónimo disse...

Mais uma vez: BELO!

O teu AMOR, és tu! Reflectes o que de melhor há num ser humano...na forma de um sorriso!

Quem souber, que te leia o sorriso.


Beijinhos,

Just a friend

ana disse...

belo...

Kênia Garcia disse...

Ah...o Amor...

Bom fim de semana pra ti!
Beijos!

Anónimo disse...

No silêncio das palavras nascem os gestos e os actos que transportam esse sentimento, O Amor.
Belo poema amiga.
Beijitos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Dalaila

"
SEM TI

E de súbito desaba o silêncio.
É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.

Só nas minhas mãos
oiço a música das tuas".

Eugénio de Andrade


Bjs

Ana Pallito disse...

Embora não saiba dizê-lo...O meu amor é assim.

Todo carinho para ti menina.

Tênis e Sapato disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Tênis e Sapato, I hope you enjoy. The address is http://tenis-e-sapato.blogspot.com. A hug.

Marinha de Allegue disse...

Arrecendos de amor, sutilezas e verdades...

Unha aperta grande.
:)

Airam disse...

Bairro do Amor
No bairro do amor a vida é um carrossel
Onde há sempre lugar para mais alguém
O bairro do amor foi feito a lápis de côr
Por gente que sofreu por não ter ninguém

No bairro do amor o tempo morre devagar
Num cachimbo a rodar de mão em mão
No bairro do amor há quem pergunte a sorrir:
Será que ainda cá estamos no fim do Verão?

Eh, pá, deixa-me abrir contigo
Desabafar contigo
Falar-te da minha solidão
Ah, é bom sorrir um pouco
Descontrair-me um pouco
Eu sei que tu compreendes bem

No bairro do amor a vida corre sempre igual
De café em café, de bar em bar
No bairro do amor o Sol parece maior
E há ondas de ternura em cada olhar

O bairro do amor é uma zona marginal
Onde não há hotéis nem hospitais
No bairro do amor cada um tem que tratar
Das suas nódoas negras sentimentais

Eh, pá, deixa-me abrir contigo
Desabafar contigo
Falar-te da minha solidão
Ah, é bom sorrir um pouco
Descontrair-me um pouco
Eu sei que tu compreendes bem




Jorge Palma- Bairro Do Amor

ETÊS TUGAS ® disse...

O Amor não se define, não cabe nos gestos e nas palavras...apenas se Vive.

nana disse...

esta senhora,
como este farol,
não deixa nunca de me fazer sentir.





..







x

nana disse...

esta senhora,
como este farol,
não deixa nunca de me fazer sentir.





..







x

Adriana disse...

"Existe alguém
E existirá
Que me faz queimar ou padecer de frio" BOA SEMANA

un dress disse...

pode

ser chão

provisoriamente

paredes

com asa







beijO

Dalaila disse...

O amor é isso,
é não saber o que se sente,
é nãpo conseguir numerar,
explicar,
palavrear,
oloca-lo em letras ou assemelha-lo à luz,
o amor é simplesmente senti-lo vivê-lo em cada dia!

AJO disse...

Bela escolha... muito bela.

luci disse...

:)

Su disse...

O amor faz-nos sentir tudo.
O amor pela pessoa com quem partilhamos a vida.
O amor pela familia.
O amor pelos amigos.
o amor pelo que vemos, ouvimos e sentimos.
O AMOR pela VIDA.

tonsdeazul disse...

O poema é tão bonito, que até faz doer o lado do sentir!
Adorei a imagem!