quarta-feira, 2 de julho de 2008

As linhas


Imagem: Sven Sholz

Quando uma estrada termina, há sempre uma seta,
uma avenida, uma rua, um caminho, um passeio, um carreiro,
uma auto-estrada, uma linha que começa!

A minha estrada é esta que sigo, que vou nela, com todas as curvas e cruzamentos,
páro nos entrocamentos,
acelero nas avenidas,
percorro os becos,
olho as janelas, entro nelas, sigo-as até aos pátios, esvoaço como os pássaros
e percorro a tua linha, que me desvia, que é descontínua que não tenho medo de atravessar, que me leva na mão, que se sente no pé, que me descalça no chão.
Essa estrada que é minha e de mais ninguém,
___________ estrada que me move e me pára,
essa estrada que és tu em mim,
_______________________ e sou eu na vida e nos cruzamentos de avenidas,
perfiro-as estreitas, com becos, luzes ténues, prefiro descobri-la devagar, que me chame para dentro dela, prefiro-a com cor, com muitas s que mude do amanhecer ao deitar,
prefiro-as devagar.
As estradas abertas, as avenidas - acelera-se mas terminam numa portagem, numa cidade, são fáceis.
______ os becos, as pequenas e estreitas ruelas, não terminam
_____________________________________________ e quando terminam sou eu a caminhar em ti!

13 comentários:

Antologia - ANO I disse...

oh...vou ser o primeiro a comentar aqui...na verdade vai ser tambem a primeira vez que comento aqui. antes de dizer-lhe como encontrei essse blog(e mais importante do que isso), devo dizer o que nele me chamou atençao a ponto de nao deixa-lo passar despercebido como tantos outros.
dentre todos os motivo, um se sobrressai:
o lirismo exarcebado. (nao sei se da para entender o que quis dizer).
neste lirismo percebe-se citaçoes de poesias, de trechos de livros, e o que mais impressiona é a tentaiva de anexar o algo seu ou ao menos do seu contexto nas palavras do post.

voun passar por aqui mais vezes.
ate uma proxima.

~pi disse...

tu que me caminhas:

do lado que não me conheço





~

Anónimo disse...

... e eu que caminho, vagabundo por entre brumas e calçadas, sinto e ouço teus passos que ecoam algures na cidade ...

Zé Carlos disse...

Mais do que as linhas, procuro os sinais, seja no final, no começo ou no percurso, das estradas e ruas.
Mais do que linhas, são os sinais que nos dão informação.
Adorei este teu texto e gostei muito da fotografia, adoro o p&b :-)

Tiago R Cardoso disse...

Brilhante.

P-S disse...

Fantastico como sempre!

tulipa disse...

Gostei de ter descoberto este teu cantinho.

Parabéns.

Por aqui, ofereço cavalos, feira equestre e regata de barcos neste fim de semana.

Beijos.
Bom fim de semana.

Anónimo disse...

e o ciclo reinicia-se...é o precurso de quem conhece uma palavra....


beijinhos

Clecia disse...

Que lindo este texto! Fantástico mesmo. Também tenho procurado estradas alternativas para seguir em frente. Não vou parar quando uma estrada terminar.Procurarei outra e mais outra até chegar aonde quero. Bjos e parabéns pelo texto!

tonsdeazul disse...

Nem sei o que dizer, pois adorei estas palavras.
As estradas levam-nos sempre para algum lugar e nelas vamos caminhando até encontrar-mos o que procuramos...

Ad astra disse...

magnifica estrada de palavras...

com sentido...

Editora Amante das Leituras - Produção de Eventos disse...

Um poesia que não nos deixa ficar indeferente perante tanta beleza de imagem poética e o lírismo, este moderno, fesco. Muito bom. Parabéns!

Gostaria que fizesse parte da minha comunidade literária Amante das Leituras.

o meu e-mail: amsoarescosta@gmail.com

Editora Amante das Leituras - Produção de Eventos disse...

Um poesia que não nos deixa ficar indeferente perante tanta beleza de imagem poética e o lírismo, este moderno, fesco. Muito bom. Parabéns!

Gostaria que fizesse parte da minha comunidade literária Amante das Leituras.

o meu e-mail: amsoarescosta@gmail.com