segunda-feira, 17 de novembro de 2008

A morada


Imagem: Lilya Corneli

Um dia voltarei à morada das papoilas
colher os versos vermelhos
que semeei na seara.

Um dia o vento estará maduro.


(Albano Martins)

7 comentários:

Luísa disse...

E nesse dia lá estarei, com vestido de seda engilhado...

Boa escolha!Bom gosto!
Bjnh

ROSASIVENTOS disse...

um dia, breve mente,





beijo

~pi disse...

belo como espinho que rompe dedo

(( vermelha mente



~

Carol disse...

Um dia, quem sabe quando...

Desculpa as ausências de comentários, mas o factor tempo nem sempre os permite.

Beijinhos.

Claudia Sousa Dias disse...

que lindo!

Adoro-as. às papoilas e ao vermelho extravagante de onde sobressaem uns olhos negríssimos.

às dálias de pétalas variegadas que me fazem lembrar a exuberância do jadim da minha avó que cultivava uma profusão de espécies de todas as cores, junto às moitas que delimitavam um quintal de onde emergiam as ameixoeiras e os pessegueiros. Sem falar nos brincos de princesa com aquele espectacular fúcsia e púrpura debaixo daquela árvore que no outono nos premiava com os mais suculentos dióspiros...


CSd

lupuscanissignatus disse...

rubro

fruto


*preci(o)so*


[ondula
nos ramos
do pensamento]

Anónimo disse...

prada purse
prada uk
prada hand bags
miu miu
miu miu handbags