quarta-feira, 6 de junho de 2007

Dança Contemporânea

Eu diria que a dança contemporânea é o corpo em nós, em mim.
As mãos alcançam o céu, o pé é firme, o corpo é ondulante, a face em sintonia com a luz, e a música entra pela pele.
Hoje, e com a dança contemporânea, fomos desamarrados de alguns conceitos, esta pode ser sem música, só de improviso, de cópia e, mesmo não se dançar.
O corpo pode ficar parado, e mexe, ondula, vibra, estremece, corre... sem qualquer movimento!!!
Ontem, os corpos caminharam pelo chão, de pé, deitados, alinhados ou não, com movimentos de cada um, cada um sente a música como sua, as letras, as palavras, os conceitos os números, a música é lenta ou rápida, e o corpo acompanha ou não esse ritmo.
O ritmo somos nós, o nosso coração e os nossos sentimentos.
O público presente foi fantástico aderiram, aplaudiram, sentiram, entusiasmaram-se, mas principalmente conheceram.
O ausente aquele que estava dentro de nós, acompanhou-nos a cada passo, por dentro, o corpo ondulava para eles também, todos os que nos inspiram, nos dão força, nos fazem voar, e principalmente acreditar.
O público também somos nós que acreditamos, que somos curiosas, sem medos, nem receios, e expandimos o corpo...
Bem hajam a todo o grupo, uniforme, diferente mas sempre em sintonia.
A Joana, faz-nos pensar, meditar, mas principalmente improvisar, saltar, por dentro de nós.
Adorei a experiência e quero continuar....

2 comentários:

Beirão disse...

Muito bem, então temos dançarina ;-), ao que me consta...!

Dalaila disse...

Temos uma construção de uma personagem que também dança, que quer sempre continuar... Bj