sexta-feira, 9 de maio de 2008

Farol no rasto


Imagem: Novic

Caminhante, são teus rastos
o caminho, e nada mais;
caminhante, não há caminho,
faz-se caminho ao andar.
Ao andar faz-se o caminho,
e ao olhar-se para trás
vê-se a senda que jamais
se há-de voltar a pisar.
Caminhante, não há caminho,
somente sulcos no mar.

(António Machado)

12 comentários:

~pi disse...

leve ir leve sem

pens ar ~

JG disse...

Tudo tem um significado oculto.
Ou deixa um rasto.

Bom fim de semana

Adriana disse...

Com cada coisa que voce posta me surpreendo,por isto é tão bom passar por aqui.Bom fim de semana

Anónimo disse...

E depois desses passos, o seguir vira surpresa, o voltar vira passado, impreterivelmente.

Avante!!
Bjs,

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá amiga da Cidade berço, gostei do textol...
Beijos

lupussignatus disse...

sulcos

no

a
mar




Bom fim de semana.

Tiago R Cardoso disse...

belo momento, muito bem conseguido.

un dress disse...

rastos de ser ~ ~








beijO

Clecia disse...

LIndo poema! Bom domingo!

Edson Marques disse...

Ah... o António Machado fez com que eu mudasse tantos dos meus caminhos!


Abraços, flores, estrelas..

rosasiventos disse...

smoke gets in your eyes

tonsdeazul disse...

Caminhante continua a tua caminhada por essas estradas poeirentas e gastas, que um dia chegarás ao teu destino.