quinta-feira, 23 de abril de 2009

Há dias que são longos e inimagináveis!


Imagem: Fresh Water Tank

Há dias assim,
dias que não parecem dias,
dias que nos fazem parar e querer começar de novo,
dias em que uma árvore se transforma em floresta densa,
dias em que os frutos nascem, mesmo da terra menos previsível,
dias que não parecem dias,
dias que têm 10 000 kms, e mesmo assim rodam à velocidade das 24 horas,
dias que se brinda, se chora, se ri,
dias que nos fazem calar, por tudo aquilo em que dissemos em tantos outros dias,
dias que me fazem escrever, sem ver as teclas,
dias que precisava de outro dia para encaixar neste dia
dias em que o interior diz VIVA,
dias em que nos transformam, só porque é um dia diferente,
diferente este meu, este nosso dia,
dia em que não me sinto diferente, em toda a diferença que estamos,
dia em que ficamos uno, um,
dia em que o dia nasceu,
numa tarde.

8 comentários:

jg disse...

Já reparaste que a vírgura do título da postagem altera o sentido da frase que, certamente, querias transmitir?!

Dalaila disse...

tens razão JG!

vou mudar.....

Su disse...

Há dias em que tudo o que escreves revela o sentimento de todos os que bebem a tua mensagem.

lupussignatus disse...

a vida

[toda]

num

só dia

Eduardo Trindade disse...

Hummm... E de que cor será o teu dia hoje?

(Espero que colorido, se bem que às vezes também precisamos de um pouquinho de cinza.)

Abraços!

Luísa disse...

Tu tens uma paleta de cores, que usas como te dá mais prazer...
Sempre com bom gosto, claro!

Marta disse...

tão tu! lindo!

beijo, princesa

Dalaila disse...

Su: e agora percebes porquê!

Lupus, num ápice tudo gira.

Eduardo: é branco, hoje é branco!

Luisa: hoje estou com uma cor de alma.

Marta: nem sabes quanto!