quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

A noite desce


Imagem: Mitchell Miller

Como pálpebras roxas que tombassem
Sobre uns olhos cansados, carinhosas,
A noite desce... Ah! doces mãos piedosas
Que os meus olhos tristíssimos fechassem!

Assim mãos de bondade me embalassem!
Assim me adormecessem, caridosas,
E em braçadas de lírios e mimosas,
No crepúsculo que desce me enterrassem!

A noite em sombra e fumo se desfaz...
Perfume de baunilha ou de lilás,
A noite põe-me embriagada, louca!

E a noite vai descendo, muda e calma...
Meu doce Amor, tu beijas a minh'alma
Beijando nesta hora a minha boca!


(Florbela Espanca)

3 comentários:

Luísa disse...

Haverá melhor poesia que esta?
Vem da alma...sente-se a vibração, palavras escolhidas a dedo pelo resvalar de uma grande emoção!
Estás deslizante, não?
Tenho miminho para ti no olhardeperto.
Beijinho

~pi disse...

tão perto quanto longe

tão

longe

quanto

per to



~

Anónimo disse...

barge412
barley311
battle711
bid321
bill410